Pular para o conteúdo

O Brasil quer participar do seu país: a contribuição de Natal

Mini curta com imagens da manifestação que ocorreu em Natal, dia 20 de junho de 2013.

Não nos sentimos representados por nossos políticos. Basicamente em todas as instâncias os representantes eleitos pela população representam apenas os interesses diminutos de seus financiadores de campanha.

O Brasil foi para rua e agora quer mais. E não quer mais pq o governo melhorou e deu condições para as pessoas quererem mais. As pessoas foram e irão continuar indo as ruas pq não aguentam mais.

Estão fartas da falência completa dos principais serviços públicos que o povo financia diariamente (educação, saúde, transporte, justiça e segurança).

Não são apenas 20 centavos a mais por uma passagem de ônibus. É um histórico terrível de vandalismo contra o povo brasileiro.

É o vandalismo governamental que deixa as pessoas morrendo nas filas de hospitais precários, que acaba com a perspectiva de crianças fabulosas que são obrigadas a estudar em escolas acabadas, podres, caindo aos pedaços durante toda sua infância. A impunidade de criminosos que através da corrupção minam serviços essenciais e prejudicam boa parte da população.

É a precariedade do transporte público que obriga pais/mães de família, estudantes e trabalhadores a passarem  horas do seu dia em uma parada de ônibus na chuva e no sol, sem ter outras opções para chegar no seu trabalho e perdendo um tempo valioso de suas vidas sob condições de stress físico e psicológico.

É por isso que as pessoas estão na rua. Pq querem participar do país, decidir junto com seus representantes onde seus impostos devem ser investidos e quais são as prioridades. As pessoas querem mudança e  exigem do governo a compreensão de um novo fenômeno social. A mobilização e o surgimento da consciência política nacional. Queremos participar e dirigir nosso pais. Não somos espectadores da nossa democracia. Somos atores sociais e queremos uma democracia participativa. Vcs ainda não entenderam isso? Não é o povo brasileiro que precisa acordar, são seus dirigentes políticos

O Morro do Careca pede o Veto ao Novo Código Florestal

As 5:00 da manhã, ativistas colocaram uma faixa no Morro do Careca em protesto ao Novo Código Florestal!

Fotografia | Edição

Gustavo Paterno

Grupo Independente lança curtas em stop-motion contra o Novo Código Florestal

Primeiro Curta: Agricultura Precisa de Florestas


Fotografia | Edição | Produção | Trilha Sonora
Gustavo Paterno + Natalia Pocas + Laura Fernandez

Segundo Curta: Turismo Precisa de Florestas

Edição | Produção | Trilha Sonora

Gustavo Paterno + Natalia Pocas + Laura Fernandez + Lucas Rohr + Júlia Araújo + Nicholas de Araújo

Pedimos a todas as pessoas que são contra a esse Projeto de lei aprovado recentemente no congresso que compartilhem esse vídeo em suas redes sociais e participem dessa campanha nacional pelo veto ao Novo Código Florestal!

Resultado: Caminhada Nacional Contra o Novo Código Florestal: 12.02.12, Natal – RN

No último domingo, vários movimentos sociais e ONG`s ambientalistas se juntaram em uma caminhada pacífica pelo veto ao Novo Código Florestal. A caminhada reuniu aproximadamente 150 pessoas e percorreu uma das principais avenidas de Natal (Av. Eng. Roberto Freire). Unidos pelo batuque do grupo Pau e Lata, as danças e grafites do CUFA (Central Única de Favelas) e a energia de todos, os caminhantes seguiram em uma marcha que objetivou alertar a população local dos reais problemas relacionados ao Novo Código Florestal.

Foto: Gustavo Paterno

O Novo Código Florestal será votoda em Brasília entre os dias 6-7 de março e preocupa muitas instituições científicas pelo Brasil afora. Pesquisadores e especialistas da área ambiental questionam a maneira como a nova lei foi elaborada e afirmam que não existem bases científicas para as modificações propostas pelo Senado (para se aprofundar na questão, leia artigos e textos científicos sobre o assunto no Link).

Leia também:

  1.   Guia prático para discussão sobre o Novo Código Florestal – Link
  2.  Parecer técnico de pesquisadores da UFRN – Link

Caminhada Nacional Contra o Novo Código Florestal: Natal – RN (12.02.12)

O QUE QUEREMOS?
O veto ao novo código florestal!

O resultado da ação será postado aqui nesse blog alguns dias depois. Link do evento no facebook : http://www.facebook.com/events/315798141801173/

EM NATAL:
O grupo irá se reunir, no próximo domingo (12.02.12), a partir das 14:30 em frente ao supermercado Favorito (Av. Eng. Roberto Freire) e irá caminhar sentido Ponta Negra, até o primeiro sinal da rota do sol. Ao final iremos ter algumas apresentações culturais (capoeira, grafitagem, malabarismo e batucada). Durante todo o percurso os Grupos Pau e Lata e Resistência da Lata estarão realizando um cortejo de batuqueiros. Iremos contar também com o apoio de um carro de som. Essa marcha faz parte do movimento nacional contra o novo código florestal (#manguefazadiferença) e conta com o apoio do SOS Mata Atlântica (http://www.manguefazadiferenca.org.br/).

O QUE LEVAR: Pedimos a todos que venham com blusa ou camiseta azul, assim está sendo em todo o Brasil. Pedimos também que levem faixas, cartazes e instrumentos para fazer barulho.
Esse movimento possui três princípios norteadores:

1. Pacífico
2. Suprapartidário
3. Horizontal

Instituições envolvidas:
Ong Oceânica, Ecomar, PermaSer, Midiativismo, SOS Mangue, Ong Baobá, Pau e Lata, Grêmio estudantil do IFRN, Resistência da Lata.

Contatos: 84 – 96793273 (Gustavo) / 99268938 (Iacíra)

AÇÕES NACIONAIS:
4 a 29/1 – Lançamento da campanha no Fórum Social Temático, em Porto Alegre e mobilização em Tramandaí (RS). Coordenação: Fundação SOS Mata Atlântica.
A partir de 24/1 – Ações em Porto Seguro (BA). Coordenação: Projeto Amiga Tartaruga – PAT Ecosmar.
A partir de 24/1 – Ações no Litoral Sul de Pernambuco: Praias de Tamandaré, Carneiros e Porto de Galinhas; Coordenação: Instituto Recifes Costeiros.
A partir de 1°/2 – Ações em Cabedelo (PB). Coordenação: Associação Guajiru.
2/2 – Ações em Salvador (BA); Coordenação: Grupo de Defesa de Promoção Socioambiental – Gérmen.
3 e 4/2 – Ações na Ilha de Itaparica (BA); Coordenação: PROMAR.
4 e 5/2 – Ações em Aracaju e Itaporanga (SE); Coordenação: Instituto Mamíferos Aquáticos.
4 e 5/2 – Ações em Matinhos (PR); Coordenação: Associação Mar Brasil.
5/2 – Ações em Maceió (AL); Coordenação: Instituto Biota de Conservação.
5/2 – Ações em Recife (PE); Coordenação: Centro Escola Mangue.
A partir de 8/2 – Ações no Rio Ceará e Praia de Iracema (CE); Coordenação: Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos – AQUASIS.
11/2 – Ações em Santos (SP); Coordenação: Ecosurfi.
12/2 – Ações em Natal (RN); Coordenação: ONG Oceânica – Pesquisa, Educação e Conservação.
12/2 – Ações em Vitória (ES); Coordenação: Associação Ambiental Voz da Natureza.
12/2 – Ações no Rio de Janeiro (RJ); Coordenação: Instituto Mar Adentro e Projeto Coral Vivo.
A partir de 17/2 – Ações em Canavieiras (BA), na Reserva Extrativista de Canavieiras.
18/2 – Ações em Paraty (RJ); Coordenação: Associação de Monitores Ambientais de Paraty – AMAPA.

Manisfesto: http://www.manguefazadiferenca.org.br/uploads/readmore/bfa812acf7826efc203f7235b0b19ad20a2bcb1f.pdf

——————————————————————————————————————–
Em luta contra o projeto de Lei que altera o atual código florestal, Natal precisa fazer a sua parte. Em diversas cidades do Brasil, nesse mesmo período, vários grupos ambientalistas e instituições científicas estão reunindo a sociedade civil para sair a rua e cobrar o veto ao “novo código Florestal”. As pessoas precisam entender que as consequências desse projeto, da maneira como foi aprovado pelo senado, extrapolam o tempo de vida de cada um de nós. Se aprovarmos esse novo projeto estaremos dando um tiro no pé da sustentabilidade do país e garantindo, por tempo indefinido, que a exploração irresponsável dos recursos naturais brasileiros continue a todo vapor. O mais triste é que tal exploração não contribui para a melhoria da qualidade de vida de nossa população, pelo contrário, concentra todo o lucro para uma pequena parcela da sociedade enquanto compartilha todos os impactos com o restante do país. Estamos falando aqui do essencial: a proteção de nossas fontes de água, nossos rios, nascentes, lagoas e mangues. O novo projeto permite que o desmatamento continue aumentando e abre brechas para a degradação ambiental generalizada, arriscando assim o futuro do abastecimento de água e a manutenção da biodiversidade do nosso país.

Em meio ao descaso do poder legislativo em ouvir e dar crédito para as principais instituições científicas do país que não tiveram suas opiniões incorporadas no projeto de lei que altera o atual código florestal de 1965, faz-se necessário que a sociedade exerça sua cidadania e cobre de nossos representantes políticos que tomem decisões que beneficiem o país como um todo e não apenas determinados grupos empresariais.

Deixamos claro que o processo de redação e aprovação desse projeto não ocorreu de forma democrática, excluindo-se a opinião pública, a qual em sua maioria (80%) rejeita as novas mudanças propostas.

Por esses motivos convocamos todos para agir.

Curso Ativismo e Mobilização para a Sustentabilidade em Manaus!

Light fisher:

Ação unificadora

Postado originalmente em Atitude Eco - Ativismo e sustentabilidade:

Ativismo e mobilização para a sustentabilidade

Mais informações: http://www.ativismo.org.br/

Twitter: @eativismo

 

Ver original

Light fisher:

Lindo trabalho de fotografia real…

Postado originalmente em :

a (1)_1024x683

a (2)_1024x683

a (3)_1024x683

a (4)_1024x683

a (5)_1024x683

a (6)_1024x683

a (7)_1024x683

a (8)_1024x683

a (9)_1024x750

a (10)_1024x683

a (11)_1024x683

a (12)_1024x683

a (13)_1024x683

a (14)_512x768

a (15)_1024x683

a (16)_1024x683

a (17)_1024x683

a (18)_1024x683

a (19)_1024x683

a (20)_1024x683

a (21)_1024x683

a (22)_1024x683

a (23)_1024x683

a (24)_1024x683

a (25)_1024x683

Ver original

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.